Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

domingo, 18 de janeiro de 2009

Foram tantas as ciladas os disfarces da morte

Nem sei comoporqueparaque tudo isso

Naquele momento crucial nem importei-me em ter morrido, inclusive eu ficaria livre do relógio de ponto, a única coisa que me incomodou foi a constatação de que eu ainda não havia concluido esta obra ou, ao menos, ter-lhe dado um encaminho, um esboço, um sinal a ser percebido por alguém

Não por mim mas por meu pai terreno, no momento da morte vi-me sendo velado por ele e por isso não quis, não entreguei-me

Eu não poderia ficar com esta dúvida no ar

Agora sei o risco que corri

Foi como enfrentar o leão mais faminto do mundo

Foi terrível

Agora sei o quanto fui, do princípio ao fim, caçado para ser morto

A morte muitas vezes vem em forma de encanto
Talvez sempre, talvez sempre
Sempre assim
Encantadora = embriagante, com mil olhos no corpo feito céu estrelado
Puro disfarce

Nenhum comentário: